A sustentabilidade na suinocultora está equilibrada no tripé: econômico, sanitário e ambiental. Há ainda a interrelação entre estes fatores, pois é sabido, por exemplo, que o nível de sanidade de um rebanho tem relação direta sobre os custos e a rentabilidade de uma granja.

Em todos os seus processos produtivos, a Arapé prima pela sustentabilidade. Através da geração de energia limpa a partir de resíduos e dejetos, a empresa contribui para a redução da emissão de gases de efeito estufa e preservação da qualidade do solo, das águas subterrâneas e superficiais. Além de apresentar a vantagem de dar destino adequado às sobras de seus processos produtivos.

Produzida com fontes renováveis e por meio de tecnologias ambientalmente sustentáveis, a energia da unidade de Formiga consegue suprir as demandas de eletricidade e calor das atividades industriais de todas as demais unidades da empresa.

Na Arapé, o processo criatório considera o bem-estar dos animais através do controle do estresse, reduzindo e até afastando os mecanismos que desencadeiam estresse em um animal.